Torcida do Manchester United e o Ódio a família Glazer

Neste domingo 2 de maio a bola iria rolar para o confronto entre Manchester United e Liverpool no Old Trafford. Jogo decisivo para os diabos vermelhos que precisam do triunfo para seguirem com esperança de título. No entanto, para a torcida do United a data seria usada para uma outra disputa, contra a família Glazer, que é dona do clube. O protesto tomou conta do gramado e causou o adiamento do duelo. Só que diante vem tanta revolta. Você vai saber neste episódio.


O ódio da torcida do United aos Glazers


Primeiramente é preciso dividir a história. A torcida do Manchester United sempre ódio a família Glazer, desde que o comando do clube estava nas mãos de Malcom Glazer, mas isso cresceu nos últimos anos quando Joel e Avram Glazer herderam o clube com a morte do pai.

Essa história começa entre os anos de 2003 e 2005, quando Malcom Glazer foi comprando pouco a pouco o United até ser o dono majoritário. Na ocasião, o Manchester já tinha duas Liga dos Campeões e havia vencido o Campeonato Inglês 15 vezes.

Depois que ele assume, o Manchester ainda levantaria o caneco da Premier League cinco vezes e ganharia a Liga dos Campeões uma, com Cristiano Ronaldo no time. No entanto, parte da torcida do Manchester United nunca aceitou a venda do clube, por não aceitar este modelo de franquias, com vendas para empresários desconectados com a realidade histórica do clube.

 
Surgimento do FC United


A insatisfação foi tanta que em 2005 este grupo de torcedores criou o FC United of Manchester, utilizando as mesmas cores do Manchester United e atualmente disputa as divisões inferiores do futebol inglês.

Só que o clima azedou principalmente quando Joel e Avram assumem o clube em 2014. Isso porque os irmãos são ótimos na calculadora, mas péssimos com o campo. Os dois reformularam o Manchester e fizeram do clube uma máquina de fazer dinheiro, batendo sempre recortes de faturamento em diversas áreas. No entanto desde que eles assumiram o Manchester jamais ganhou a Liga dos Campeões e nem a Premier League. A única conquista foi a Liga Europa, que é uma disputa pouco valorizada para um clube tão histórico.

A revolta da torcida é ainda maior porque os irmãos quase nunca são vistos no Old Trafford nos jogos. O que deixa claro que o clube é visto apenas como uma fonte de dinheiro e o interesse dos torcedores é totalmente desconsiderado.

Agora o auge veio com o anúncio da Superliga, no qual o Manchester United se colocou como um participante. Medida que foi considerada absurda pela origem operária do clube, que escolheu se juntar com os riquinhos e ignorar a base competitiva do futebol.

Tudo isso traz um importante debate sobre os clubes-empresas que são vistos como a única alternativa no futebol brasileiro. É preciso estar atento, pois embora dinheiro seja fundamental na gestão, nenhum torcedor comemora saldo no banco. Isso precisa estar atrelado ao desempenho esportivo. Coisa que a família Glazer não se preocupa.

Postar um comentário

0 Comentários