Fato x Opinião em tempos de fake news

Um estudo revelou que o brasileiro tem dificuldade de diferenciar o que é fato do que é opinião. Uma situação preocupante, principalmente hoje, em que muitas opiniões são formadas por causa de fake News. Entenda essa diferença, os riscos e números de um cenário que precisa mudar.

Veja também: Saiba o que foi o Plano Cohen

Briga na Internet viralizou

Neste mês viralizou um debate entre uma jornalista e um youtuber sobre fatos e opiniões. Basicamente, o apresentador reclamava que hoje tudo estava muito chato porque não se pode conversar, falar o que pensa se não tiver números e estatísticas. Ele tomou uma invertida obviamente, mas nada que mudasse a cabeça dele.

Assim como também não deve mudar a cabeça da maioria. Isso porque existe um grande problema no Brasil atualmente hoje que é saber a diferença de fato e opinião.

Segundo relatório da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico no Brasil, 67% dos estudantes de 15 anos no Brasil não conseguem diferenciar fatos de opiniões na leitura de textos. Número muito superior a média de 79 países analisados, que era de 53%.

E a insistência das pessoas em debaterem fatos com apenas opiniões mostram como ou não entendem a diferença ou simplesmente não se importam, o que é gravíssimo.

Isso porque fato é algo concreto, constatado. Portanto, você pode não gostar, não concordar, até ter uma outra visão antes de saber, mas tem uma estatística, uma informação que pode atestar que a realidade é diferente da que você acreditava.

Enquanto a opinião é uma percepção particular de uma pessoa ou um grupo dentro da experiência que ela viveu, que pode ser distorcida da realidade ou não.

Só que ninguém está proibido de ter opinião. Você ainda pode e sempre vai poder compartilhar a sua visão sobre um determinado assunto. Você pode, por exemplo, dizer que a educação no Brasil é uma merda. Esta é a sua opinião. Mas não necessariamente isso é um fato, porque aí vai depender se houve evolução ou não nos últimos anos ou qual a base de comparação que você está fazendo. Depende por exemplo se você está falando da Educação Federal, Estadual ou Municipal. Se está falando das escolas no Rio de Janeiro ou no Maranhão ou em Goiás.

Pois sem isso, você está fazendo apenas um comentário vazio e te garanto que na maioria das vezes você estará apenas replicando uma opinião que ouviu ou leu em algum lugar sem sequer ter checado.

Só que o principal é que basicamente hoje é muito fácil ter acesso a todas essas informações. Na internet você encontra dados em sites confiáveis em poucos segundos. Porém, o que acontece é uma preguiça e até mesmo um orgulho em falar de algo sem saber.

Claro que ninguém tem tempo para pesquisar sobre tudo, mas ao menos assuntos relevantes e que você se dispõe a afirmar com convicção seria fundamental que você checasse.

Não reconhecer fato abre caminho para fake news

Isso porque o entendimento sobre fato e opinião, assim como buscar informação, são fundamentais para democracia. Exatamente por existir esse orgulho das pessoas simplesmente falarem o que pensam sem pesquisar sobre, que faz com que os brasileiros caíam tão facilmente em fake News.

Afinal, se as pessoas valorizam tão pouco os fatos ou sequer os recusam a aceita-los, o caminho fica aberto para que opiniões vazias e que na verdade são mentiras sejam compartilhadas.

E aí temos um outro dado muito preocupante. De acordo com uma pesquisa realizada pela PSafe, 75% dos brasileiros já caíram em uma fake News e 55% já repassaram. Ou seja, é o país em que os pais ensinaram os filhos a não confiarem em estranhos, mas que compartilham textos de fonte duvidosa.

E isso é extremamente preocupante porque o acesso a Internet no Brasil é cada vez mais. Em 2003 havia conexão a internet em 20% das casas. Esse número saltou para 60% em 2018. Além disso três em cada quatro brasileiros tem conexão pelo celular.

Desta forma, o que temos é, uma grande circulação de notícias e falsas notícias, uma baixa pesquisa por fatos, o que gera automaticamente um grande número de opiniões que são tomadas com bases em fake News.

Em 2018, por exemplo, Bolsonaro apareceu e muitos o apontavam como uma alternativa a velha política, porém, ele fazia parte da velha política há duas décadas. Afirmavam como opinião que ele jamais se misturaria com o Centrão, quando o fato na verdade é que ele passou quase toda a trajetória política dele em partidos do Centrão. Entre muitas outras fake News que foram compartilhadas e que acabaram influenciando na opinião dos eleitores que não buscaram os fatos.

Com isso, deixa para se balizar apenas por opinião quando for falar da sua música preferida, do filme, das séries, da comida e outras coisas do tipo. Quando forem assuntos complexos, como seu candidato, o que exigir para educação, segurança, saúde busque tirar uma parte do tempo para procurar números e fatos em sites confiáveis.

E aqui não é nenhum pedido de especialização. Ninguém está falando para você se graduar em nada. É só tirar um tempo para ler esses temas, assim como você faz com as notícias esportivas, os resumos das novelas ou os próximos lançamentos.

E você também pode ver muitos fatos, assim também como opiniões aqui no Outro Lado da História. Então se inscreva no canal para não perder nada.



Postar um comentário

0 Comentários