Ditadura Militar: A verdade por trás do golpe

Ultimamente comum ouvir pedidos por uma intervenção militar. Na virada de 31 de março para 1 de abril de 2021 completaram 57 anos de uma intervenção golpista que durou 21 anos e que mesmo tendo sendo um período sombrio para o Brasil ainda existem pessoas que querem comemorar isso. Vamos então falar sobre o golpe de 1964.

Antes de tudo vou repetir o que já disse em outros vídeos. É golpe toda e qualquer ruptura de um processo democrático. Ou seja, se a constituição diz que um presidente é definido nas urnas, é nas urnas que ele tem que ser retirado. A constituição também determina quais crimes são passíveis de perda de mandato, mas não aconteceu nada disso em 1964. Portanto, foi golpe sim, com G maiúsculo. 

Este mesmo golpe que já vinha sendo planejado desde a década de 50 e que acabou sendo adiado devido ao suicídio de Getúlio Vargas.

Brasil estava realmente em crise no golpe de 64?

Desde sempre o Brasil nunca foi um lugar seguro economicamente. Os problemas com inflação sempre apareciam, assim como as dificuldades de fazer investimento também, mas nada muito diferente do que ocorreria em todo o período o republicano. Ainda assim, o brasil teve crescimento superior a 6% em todos os anos entre 1957 e 1962.

O que existia na verdade era um grande conflitos de interesses. A esquerda e os movimentos sociais queriam a reforma agrária, enquanto alguns fazendeiros e membros da direita não aceitavam ou faziam reivindicações que o governo não conseguia cumprir.

Só que uma prova que o povo estava com Jango é que nas eleições de 1962, o partido dele conseguiu dobrar sua representação na câmara, soltando para 28% das cadeiras. Ora, um presidente que não agradasse seu povo jamais teria um crescimento tão considerável, o que só mostra que principalmente a elite conservadora que não tolerava as transformações sociais que estava por vir e agitava para derrubar o governo a força.  

Outra vitória importante de Jango foi plebiscito de 1963, em que quase 80% votou para que o sistema de governo fosse presidencialista contra cerca de 20% que queria o parlamentarismo.

E embora muitos falem da marcha para a família com deus pela liberdade  realizada em 19 de março como um símbolo de protesto contra o governo, o que é pouco dito é que ele foi organizada como uma resposta a uma multidão que foi ao rio em 13 de março para apoiar as reformas desejadas por Jango.

A diferença entre os dois movimentos é que na primeira estavam trabalhadores, pessoas pobres e em busca de moradia. No segundo estavam pessoas de classe média e líderes religiosos, uma combinação sempre perigosa para o Brasil.

Ajuda dos Estados unidos no golpe de 64?

É importante sempre lembrar que tudo isso ocorre em meio a tensão e rivalidade entre estados unidos e união soviética. Os norte-americanos temiam que o Brasil, um país de dimensões continentais aderissem ao comunismo, que havia acontecido em cuba.

Com isso o que eles cogitaram? Uma intervenção militar, obviamente, que eles fazem em todos os países que podem tirar vantagem econômico. Só que ao perceberem que teriam quem fizesse o serviço suo, eles recuaram e passaram a milhões de dólares nas campanhas de deputados que faziam oposição ao governo de Jango. Exatamente por isso que apesar do crescimento considerável do PTB no congresso, os conservadores ainda eram maioria. Esse dinheiro chegava através do instituto brasileiro de ação democrática, fundado por alguns empresários e que engordavam as contas de políticos do PSD e a UDN, que eram contra as reformas de Jango.

Os norte-americanos colocaram em ação também a operação brother sam, enviando força naval para apoiar os golpistas. Para comprovar a satisfação com este processo, os estados unidos foram os primeiros a reconhecer o governo militar.  E o presidente Lyndon Johnson na ocasião ainda declarou que algumas pessoas mereciam ser presas, ou seja, democracia só existe se seguir os interesses do tio sam.

E isso ocorreu, assim que a junta militar tomou posse começou uma perseguição a todos os políticos apoiadores de Jango pelo Brasil. 

Além disso também existem áudios tanto de Johnson, quanto de Kennedy coordenando ações de desestabilização de Goulart.

É sempre importante lembrar que o apoio americano as ditaduras não foi exclusivo ao brasil, tendo participações também no Uruguai, Peru, Chile, Argentina e Paraguai, que foram tão sanguinárias, quanto a daqui.

Ameaça comunista no Brasil em 64?

As teorias da conspiração no brasil, que hoje seriam equivalentes as fakes news do whatsapp, são criadas de maneira tão bizarra e sem sentido que na década de 30, Getúlio Vargas se manteve no poder exatamente falando da ameaça comunista. Já na década de 50, o Jango era ministro o Getúlio. Sendo assim, como é que alguém acredita que João Goulart seria comunista se ele trabalhou para um presidente que perseguiu e prendeu comunistas.

Além disso não existe nenhuma prova, sinal ou qualquer coisa do tipo que ligue o PTB ou Jango ao comunismo, tanto que sequer ocorreu atos de resistência ou uma ajuda da união soviética, levando em consideração que a elite conservadora contava com a ajuda dos estados unidos.

O que ocorreu como dissemos aqui eram propostas que visavam melhorar um pouco a condição de vida de pessoas mais pobres. Só que no brasil, todo e qualquer movimento voltado as classes mais humildes causa indignação a elite e a forma dela atacar medidas justas é e sempre foi usar a tática do fantasma do comunismo, alegando que neste sistema o governo vai tirar as coisas dos pobres também. 

Golpe civil-militar e perseguição

Com tudo o que falei até aqui, você já percebeu que o golpe não foi apenas militar. A classe média, os grandes empresários estavam por trás disso, com medo de perderem seus privilégios. Para completar isso, tornando isso um golpe civil-militar, temos ainda a sessão do congresso que declarava vaga a presidência do Brasil, mesmo com Jango estando no país. E para carimbar a sujeira ainda teve o STF dando aval. Os dois acabaram pagando caro por isso, pois os militares poucos anos depois fecharam o congresso e fez o supremo virar um simples enfeite institucional.

Assim que Castello Branco assumiu todos os resquícios de democracia também foram desaparecendo, com o militar prendendo alguns opositores, mandando outros para o exilio e fechando partidos.

O milagre econômico da Ditadura x desigualdade

Utilizam dois argumentos para defender o governo militar e que são bem fracos. O primeiro é que desenvolveu a infraestrutura do brasil, principalmente com a construção de rodovias. Se isso por um lado até serviu para conectar regiões, esta escolha de desenvolvimento que fez com o Brasil parasse de investir em ferrovias, e que permitisse o sucateamento das que já existiam. O que fez com que o Brasil ficasse dependente totalmente do transporte das rodovias para o transporte de mercadoria, o que é muito mais caro. Além disso, todas as grandes obras do período ocorreram com muita corrupção e quase sempre realizadas por amigos dos militares. Foi inclusive na ditadura militar que OAS e Odebrecht, por exemplo, ganharam fama e fizeram rios de dinheiro. 

Outro argumento é o tal milagre econômico, pois o brasil cresceu em média 10% entre 1968 e 1973. Primeiro que neste aqui eles ignoraram que a ditadura durou mais 12 anos e que apresentou números bem piores, como em 81 que ele chegou a ter queda de 4%, a maior retração da história do brasil

Só que a história ainda fica pior, pois a fórmula para este crescimento foi contendo o reajuste salarial dos trabalhadores, que acabavam tendo perdas perante a inflação. Inflação essa que também disparou durante a ditadura, chegando a ultrapassar a marca de 200% nos anos finais do regime.

Isso tudo só fez com que a desigualdade aumentasse consideravelmente no brasil. O índice de gini, que mede a concentração de renda marcava 0,54 em 1960 e pulou para 0,63 em 1977. Aqui, quanto mais próximo de 1, mais desigual é o país. 

Isso significava que a desigualdade aqui marcava níveis similares aos da África. Só como comparação, em 2017 o índice marcava 0,51.

Para completar, os militares aumentaram e muito a dívida do Brasil. Quando eles deram o golpe, tudo o que brasil devia equivalia a 15,7% do PIB. Já em 1984, quando entregaram o país a dívida representava 54% do PIB, ou seja, quase quatro vezes maior. 

Repressão na Ditadura (mortos e desaparecidos)

Junta todos estes problemas a censura, perseguição e assassinatos. É por causa desta combinação, por exemplo, que você tem pouca informação sobre os crimes de corrupção na época. Os militares vendem o discurso de que só morreram vagabundo no período, porém, eles entendiam como vagabundo todos aqueles que resolviam mostrar a podridão do governo. Todo e qualquer jornalista, artista ou revolucionário que mostravam como os militares e amigos de militares enriqueceram, que mostravam como os pobres morriam de fome e seca, que lutavam por democracia eram perseguidos e mortos. Ao todo 

Foram 434 mortos diretamente pela ditadura militar brasileira, isso sem contar os milhares que sobreviveram, mas que foram torturados das formas mais cruéis possíveis, utilizando choque e ratos, muitas das vezes as torturas eram feitas em crianças, para que os pais aceitassem falar.

Os negros também tem muito a lamentar com a ditadura, pois durante o regime os militares aterrorizavam todas as manifestações de cultura negra, inclusive levando os organizadores para a delegacia. Eles temiam que surgisse uma identidade cultural negra brasileira tão grande como a que ocorria nos estados unidos e lutava com direitos e igualdades. Toda esta repressão fez com que atrasasse o desenvolvimento de uma consciência negra no país.

Porque dos pedidos de volta e outros países

Voltando ao inicio do vídeo, apesar de tudo isso, ainda temos uma galera que pede a volta da ditadura militar e ela se divide em três grupos. Os militares, os milionários que aumentaram suas fortunas no período e uma parcela da população que foi manipulada. E porque isso acontece, porque o brasil tem o erro grosseiro de esconder seus períodos mais desastrosos, que fazem com acabem voltando. No brasil fala-se pouco da ditadura, das perseguições, das mortes, da falta de liberdade e da pobreza extrema que vivíamos aqui.

No entanto, isso não é exclusividade nossa, embora com números bem maiores, ainda há também quem idolatre Pinochet no Chile, ou os ditadores no Chile. Mas ainda bem que por lá, isso não alcança 10% da população, como apontam as últimas pesquisas feitas, ou seja, se resume mais a pessoas ligadas a direita.

Na Argentina, que teve o regime mais cruel, com cerca de 30 mil mortos, tem inclusive o dia nacional de memória pela verdade e justiça, que acontece todo 24 de março para lembrar o genocídio promovido pela ditadura militar.


http://arte.folha.uol.com.br/especiais/2014/03/23/o-golpe-e-a-ditadura-militar/a-crise.html

https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-03-15/com-arquivos-e-audios-da-casa-branca-filme-revela-apoio-dos-eua-ao-golpe-de-64.html

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/29/economia/1506721812_344807.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Produto_interno_bruto_do_Brasil

https://pt.inflation.eu/taxas-de-inflacao/brasil/inflacao-historica/ipc-inflacao-brasil.aspx

https://brasilescola.uol.com.br/historiab/golpe-militar.htm

https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/golpe-de-64.htm

http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2014-12/comissao-reconhece-mais-de-200-desaparecidos-politicos-durante

https://www.hypeness.com.br/2019/03/clubes-argentinos-se-unem-para-repudiar-ditadura-e-golpe-militar-nunca-mais/

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-46496289

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/09/130910_chile_pinochet_jf

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/nao-havia-ordem-e-seguranca-na-ditadura-por-rubens-goyata-campante/



Postar um comentário

0 Comentários