Copa Mercosul foi modelo similar a da Superliga Europeia na América do Sul

 Após o anúncio da Superliga Europeia, que vai reunir 12 dos mais ricos da Europa para disputarem um torneio continental entre si, as redes sociais bombaram com tema. Algumas pessoas então ligaram a decisão da criação a da Copa União 1987, organizada pelo Clube dos 13. No entanto, a comparação chega a ser absurda e uma outra disputa tem bem mais semelhanças, que foi a Copa Mercosul.

Copa União de 1987 não pode ser comparada a Superliga Europeia

Primeiramente é importante desfazer a comparação da Copa União com a Superliga Europeia. Isso porque embora as pessoas tentem argumentar que a competição do clube dos 13 ignorou a meritocracia ao definir os participantes os procedimentos foram totalmente diferente.

Isso porque a Superliga rompeu com a UEFA basicamente, pois a Liga dos Campeões está organizada e garantida para as próximas edições. Os clubes então simplesmente resolveram ignorar isso e criar uma competição própria.

Já o clube dos 13 foi formado após a CBF anunciar que não organizaria o Campeonato Brasileiro. Com um calendário vazio, os clubes de maior torcida se reuniram e criaram uma competição e chamaram outros três para participar. Desta forma, a liga foi feita por uma necessidade e obviamente nesta forma mais natural que o foco fosse juntar os de maiores torcidas. Algo diferente do que ocorre na Superliga Europeia, quando o motivo da união não está no número da torcida e sim na grana dos dirigentes.

Mercosul é similar a Superliga Europeia

O curioso é que as pessoas poderiam utilizar uma outra competição para fazer esta comparação. A Copa Mercosul foi uma espécie de clube do bolinha aqui na América do Sul. As duas principais diferenças é que primeiro a disputa não era a mais importante do Continente. Os clubes continuavam buscando classificação e disputando a Copa Libertadores. O segundo fator é que a competição não foi criado exatamente pelos clubes.

A competição foi bancada pela Traffic, empresa de marketing esportivo, e com objetivo de ter retorno financeiro convidava apenas os clubes com as maiores torcidas do Continente. Com isso todos anos estavam os mesmos envolvidos, desconsiderando totalmente o rendimento deles nas competições nacionais e, portanto, não existia a meritocracia.

A competição existiu de 1998 até 2001 e contou em todas as edições com Boca Juniors, Independiente, River Plate, San Lorenzo e Velez Sarsfield (Argentina); Corinthians, Cruzeiro, Flamengo,  Palmeiras, São Paulo e Vasco da Gama (Brasil); Colo Colo, Universidad Católica e Universidad de Chile (Chile); Cerro Porteño e Olimpia (Paraguai); Nacional e Peñarol (Uruguai)

As únicas poucas alterações foi a entrada do Rosario Central no lugar do Racing em 2000 e depois a substituição pelo Talleres em 2001. Já o Atlético-MG participou em vez do Grêmio em 2000. Os gaúchos disputaram as outras três edições.



Clubes de fora

Alguns clubes fizeram boas campanhas nas competições nacionais, porém, como a participação na Copa Mercosul era por convite ficaram de fora. Foi o caso do Lanús vice em 1998 e o Gimnasia em 1999 na Argentina. O Guaraní no Paraguai vice em 2000. O Cobreloa vice no Chile em 2000 e do São Caetano vice no Brasil em 2000.

 

Postar um comentário

0 Comentários