Clubes de futebol de esquerda

 Ao longo da história alguns clubes através da gestão ou por boa parte dos torcedores sempre se posicionaram como de esquerda. Confira os principais casos do Mundo.



Santi Pauli

Um dos casos mais tradicionais é o Saint Pauli, de Hamburgo, na Alemanha. Este foi o primeiro clube alemão a expulsar nazistas, fascistas e machistas. Além disso, as arquibancadas passaram a dar espaço a todos os perfis de torcedores, seja por orientação sexual, gosto musical, posicionamento religioso e tudo mais. Com isso você vê bandeiras de arco-íris, de Che Guevara, de caveiras e muitas outras. A única coisa que ficava de fora era o preconceito. Isso fez com que a equipe saltasse a média de público de 1.600 pessoas para 20.000 da década de 80 para 90. São marcantes também por não ofenderem os adversários e também por apoiarem os refugiados.

O Saint Pauli inclusive se tornou o primeiro clube de futebol a ter um presidente homossexual.

Borussia Dortmund

Também da Alemanha, embora não tenha um posicionamento tão completo quanto o Saint Pauli, o Borussia Dortmund também se engaja em questões sociais importantes. O clube no passado inclusive chegou a sofrer com o período nazista, tendo dirigentes assassinados pelo governo de Hitler. Devido a isso, a partir das décadas de 80, o Borussia passou a expulsar torcedores ligados a extrema-direita e nos anos 2000 passou a organizar excursões a campos de concentração para mostrar os horrores do nazismo. Além disso, o clube costuma participar de campanhas por igualdade racial e justiça social.

Livorno

Da Alemanha para Itália temos o Livorno, que é um time que os torcedores se posicionam como comunistas. Com algumas participações na elite italiana, o clube procurou sempre responder os posicionamentos fascistas de alguns clubes, como a Lazio. Além disso, nos estádios é comum ver os torcedores do Livorno carregando bandeiras vermelhas com foice e martelo, ou imagens de Che Guevara e Lênin.

Red Star

Já na França existe o Red Star. O nome não foi dado por causa disso, Só que apesar da ligação com a esquerda. Desde sempre, o clube procurou abraçar a comunidade, incluindo ofertas de cursos profissionalizantes e culturais para os jovens.

Tanto a direção do Red Star, quanto os torcedores são envolvidos com valores humanistas, se posicionando em causas étnicas e sociais. Os torcedores também por diversas vezes declararam que jamais gostariam de ver o clube se tornando um PSG, perdendo a identidade. Nas arquibancadas também eles são contra ofensas a árbitros e adversários.

Demais na Europa

A Europa ainda conta com Olympique de Marselha e AEK, que não são tão atuantes em questões sociais como no casos citados anteriormente, mas que se posicionam como antiracistas e antifascistas, além de costumarem baterem de frente com torcedores de extrema direita do continente.

América do Sul

Na América, os clubes não costumam carregar as bandeiras da mesma intensidade, embora tenham surgido diversas torcidas antifascistas em quase todos os grandes clubes nacionais. Embora tenhamos tido o caso da Democracia Corintiana com alguns jogadores como Socrates se posicionando contra a Ditadura e o Argentino Juniors, que foi fundado por simpatizantes do Partido Socialista Argentina.

Postar um comentário

0 Comentários